Os mitos das embalagens de papel, papel cartão e papelão

Os mitos das embalagens de papel, papel cartão e papelão

A ONG Two Sides, em mais uma ação de esclarecer equívocos comuns sobre os impactos ambientais da utilização do papel, criou mais um material especial para combater alguns mitos e promover as embalagens de papel, papelcartão e papelão. Leia este conteúdo superinteressante  na íntegra:


A embalagem de papel, cartão, papelão e o meio ambiente

A despeito do pessimismo de muitas pessoas, a humanidade tem evoluído para melhor. No entanto, há questões que devemos enfrentar para continuar a progredir. O resgate de populações que vivem em extrema pobreza, por exemplo, é um desafio. Outra é a questão ambiental.

Esta última envolve, basicamente, três aspectos. Um é a contaminação dos ecossistemas com resíduos não biodegradáveis – frequentemente substâncias sintéticas e tóxicas. A imagem das gigantescas “ilhas” de detritos flutuando no Oceano Pacífico é bastante conhecida, mas eles estão por toda a parte, poluindo e contaminando o meio-ambiente.

Outro aspecto é o uso abusivo dos recursos naturais. Matérias primas não renováveis, extraídas continuamente, podem ter suas reservas esgotadas, comprometendo a sustentabilidade econômica. Solos usados intensivamente e sem o manejo adequado, podem se tornar inúteis. O desmatamento promove a desertificação. O terceiro ponto são as mudanças climáticas, causadas pela contaminação da atmosfera com diferentes gases, principalmente o dióxido de carbono (CO2).

Nesse contexto, as embalagens têm grande importância. O fato de não consumirmos as embalagens, mas sim os produtos que contêm, leva muitos a crer que elas são inúteis e que poderiam ser dispensadas. No entanto, a maior parte das embalagens nos ajuda a aproveitar melhor os recursos naturais, evita desperdícios e melhora a distribuição de riquezas.

Proteger alimentos e outros produtos reduz as perdas desses itens. Muito mais alimentos e outros bens seriam descartados e desperdiçados se não fossem adequadamente embalados. Havendo mais bens em boas condições à disposição, mais baratos eles serão e mais acessíveis às populações de baixa renda. Então, não é boa ideia eliminar as embalagens e isso nem seria viável. O que deve ser feito é produzir embalagens que tenham o menor impacto ambiental. A embalagem ideal deve ser biodegradável. Deve ser produzida a partir de matérias primas renováveis e, se possível, contribuir para mitigar o aquecimento global.

O instituto “Smithers Pira”, da Grã-Bretanha, publicou os resultados de uma pesquisa recente realizada em cinco países – Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Espanha. Foram entrevistados varejistas e donos de marcas sobre o tema “embalagens e sustentabilidade”. Alguns resultados:

• 96% consideram a sustentabilidade das embalagens importante para os negócios;
• 81% consideram que reciclabilidade é importante, 48% que é crítica;
• 62% acreditam que a demanda por embalagens sustentáveis deve aumentar;
• embalagens de cartão são reconhecidas como as mais sustentáveis;
• plásticos são vistos como difíceis de reciclar, por usar matérias-primas não sustentáveis e conter substâncias perigosas.

Papel, cartão e papelão são feitos de celulose, extraída de árvores. Ao contrário do que muita gente pensa, toda celulose produzida no Brasil vem de árvores cultivadas e nada vem de matas nativas. Trata-se, portanto, de matéria-prima renovável, que não esgota recursos naturais. As árvores plantadas contribuem para a redução do efeito estufa. Em alguns países usam-se árvores nativas, mas para cada árvore colhida outras são replantadas de modo a garantir sua reposição. Na Europa, por exemplo, as florestas que fornecem madeira para a fabricação de papel e de outros produtos cresceram 44.000 km2 entre 2005 e 2015. A água utilizada na fabricação de celulose e papel não é perdida. Mais de 93% dela é devolvida ao meio ambiente em condições adequadas, segundo os critérios legais.

Segundo a Associação Nacional dos Aparistas – ANAP, a reciclagem de papel, cartão e papelão no Brasil é de 68,7% e esse número tende a crescer. Na Europa ultrapassa os 80%.

No entanto, embora papel, cartão e papelão sejam produtos altamente sustentáveis, nenhum recurso deve ser desperdiçado. Utilize só o que for necessário. E lembre-se: depois de usados, recicle.
Você jamais vai ver pedaços papelão e cartão flutuando na imensa ilha de lixo do Oceano Pacífico.

Manoel Manteigas de Oliveira
Diretor técnico da Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica – ABTG e de Two Sides Brasil

 

Confira aqui o conteúdo específico sobre sacolas de papel.

#twosides.org.br
twosides@twosides.org.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Envie-nos sua mensagem via Whatsapp